Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: O segredo de Heap House


Título: O segredo de Heap House • Autor: Edward Carey • Editora: Bertrand Brasil • Páginas: 384 • Ano: 2017

 Eu sempre gostei muito do gênero infanto-juvenil e fazia um tempinho que não lia nada desse gênero, então quando vi esse livro fiquei bem animada e para minha felicidade foi uma leitura muito bacana e estranha também, mas no bom sentido.


 Em "O segredo de Heap House" vamos conhecer Clod Iremonger, membro puro de uma família poderosa que vive nos Cúmulos (um lixão), ele é um garoto estranho que possui uma habilidade estranha: ele ouve os objetos falando, mais especificamente ouve os objetos falando os seus próprios nomes.
 Todos em Heap House possuem um objeto de nascença, então Clod ouve muitos nomes por onde vai e ninguém entende realmente o motivo da existência desses objetos, só sabem que é preciso estar sempre com seu objeto de nascença.
 Clod está na idade de passar pelo Colóquio, que é quando ele vai se encontrar com sua noiva e eles irão mostrar seus objetos de nascença um para o outro, sendo que sua noiva será uma prima sua, pois nessa família os casamentos geralmente ocorrem entre os Iremonger.
 Mas nesse momento, a família Iremonger está passando por um momento difícil, o objeto de nascença de um dos membros da família sumiu e ninguém pode ficar sem seu objeto, então todos estão a procura do objeto.
 Ao mesmo tempo, vamos conhecer Lucy Pennant, uma garota que vivia com sua família em Filching até que A Febre dos Cúmulos começou a se espalhar pela sua cidade e acometeu seus pais, deixando-os imóveis e a menina foi mandada para um orfanato.
 Em seguida, um membro da família Iremonger foi ao orfanato e trouxe Lucy para morar na casa como uma criada, a menina acabou virando amiga de Clod e juntos eles irão descobrir os segredos sombrios de Heap House.

"Sem dúvida, aquele era um lugar peculiar, cheio de comportamentos peculiares, mas pouco importa, pensei: as pessoas são peculiares. E as pessoas com dinheiro têm a liberdade de ser tão peculiares quanto quiserem."

 A primeira coisa que me conquistou nessa história foram os personagens, todos são pessoas estranhas, não são bonitos e nem possuem grandes qualidades. O protagonista, Clod, é um menino desengonçado que está longe de ser bonito e por conta de sua habilidade, ele é visto como o mais estranho de todos os Iremonger, mas é um personagem cativante, pois é um bom amigo que não se importa com a classe social da pessoa e só pensa em fazer o que é certo.
 Lucy é uma garotinha estranha também, ruiva e cheia de sardas, ela sempre foi uma boa filha e buscou fazer o que era certo, assim como Clod é uma personagem corajosa e ela não aceita tudo o que lhe é imposto.
 Há outros vários personagens, como Tummis, o primo e melhor amigo de Clod, que é um personagem cativante também, pois é um amigo divertido e uma boa pessoa. E há alguns personagens chatinhos, como Moorcus, um primo de Clod que sempre implica com ele e com Tummis.


 Confesso que não esperava encontrar o que encontrei, de início é uma história meio estranha, mas ao mesmo tempo um tanto original. E com o decorrer das páginas tudo se mostra ainda mais sinistro e interessante, pois o autor trouxe uma história bem criativa mesmo e explicações bem curiosas.
 Algo que eu achei bem curioso logo de cara foi a questão dos objetos de nascença, pois há objetos como lareiras, palitos de fosforo, maçanetas, torneiras e outros na história. E há toda uma necessidade de estar sempre com o objeto, então eu me perguntei a história toda o motivo e então o autor deu uma resposta bem criativa e tornou a história ainda mais mágica.
 O final do livro foi algo que eu gostei bastante, pois embora não tenha sido um final feliz como eu estava esperando, foi um final que conseguiu me conquistar e me deixou ansiosa para ler o próximo livro.

"- Recolhemos e amamos, com grande paixão, tudo o que era asqueroso e malcheiroso, quebrado e rachado, enferrujado e esgarçado, fedorento, feio, venenoso, inútil, descartado. Não há amor maior do que o dos Iremonger pelas coisas rejeitadas. Tudo o que temos é marrom, cinza ou amarelado, manchado, empoeirado e malcheiroso. Somos os reis do mofo. Acho que, na verdade, o mofo nos pertence. Somos os magnatas do mofo."

 O livro todo é meio sombrio, pois nada é bonito e reluzente nessa história, mas é muito bacana acompanhar a amizade que nasce entre Lucy e Clod, assim como é muito bonita a amizade de Clod com Tummis.
 Essa história traz várias mensagens para o leitor pensar, uma delas é a questão de sempre existir pessoas que se aproveitam de outras para conseguir crescer na vida ou algo do tipo e fala bastante sobre coisas/pessoas rejeitadas.
 Muito bacana também é a descrição da Heap House, que é uma casa composta de restos de outros lugares, ou seja, é uma casa velha e estranha, mas é uma casa enorme com vários cômodos e é isolada de tudo.


 A diagramação do livro está simplesmente maravilhosa, começando pela capa que representa bem a história, tendo o protagonista e a casa no meio do lixão. Já por dentro tudo está muito agradável também, começando pelas folhas que são amareladas e há um ótimo tamanho na fonte dos textos, sendo que a cada troca de capítulo há uma folha preta com uma ilustração de algum personagem e também há mapas da casa.
 A leitura do livro é extremamente fluída, pois essa história envolve o leitor logo no início e deixa o mesmo curioso com o desfecho da mesma. E a narração é feita ora por Clod, ora por Lucy, o que permite que o leitor consiga se sentir mais próximo dos dois personagens e assim ser mais facilmente cativado por ambos.


 "O segredo de Heap House" foi uma leitura que eu fiz sem nenhuma pretensão e que conseguiu me conquistar bastante, pois é uma história bem criativa que me envolveu muito fácil e que traz personagens muito bacanas, sendo que é tudo meio bizarro e eu adoro histórias assim.
 Enfim, é uma leitura mais que recomendada para o público de infanto-juvenil, mas também recomendo para quem não se enquadra muito nesse público, pois é uma história rápida de ler e muito agradável.

(livro recebido em parceria com a editora)

Deixe um comentário:

  1. Ola
    Eu já tinha visto essa capa por ai, mas a sua resenha é a primeira que leio a respeito e a premissa me pareceu muito instigante. Depois de ler suas considerações, tenho certeza de que seria bem divertido também, assim como criativa pelo que pude compreender sim. Essa diagramação deve estar ótima né.. adorei sua resenha e as fotos também!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    A primeira coisa que chamou minha atenção na capa foi o fato de o autor também é o ilustrador do livro. Acho muuito legal isso, pois realmente vemos a história através da perspectiva do autor.
    Eu normalmente gosto de livros voltados ao público juvenil, mas eles tem que ter algo a mais, tipo ser uma fantasia, como parece ser o caso desse.
    O enredo chamou bastante minha atenção e fiquei curiosa para saber qual a explicação o autor deu para os objetos.
    Pretendo ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Larissa! Me parece uma típica obra de Tim Burton, nunca leria este livro considerando a capa, mas agora pela sua resenha vi qua há beleza no livro e em especial nos personagens <3


    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Larissa!
    A história é bem instigante, me pareceu um daqueles filmes Noir, ao mesmo tempo em que parece uma história de mistério e suspense. rsrs Me chamou bastante a atenção a capa e as ilustrações, e sua resenha foi bem cativante ao que diz respeito à história e aos personagens, parabéns!
    Bjos
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Acho que quando partimos para uma leitura sem grandes pretensões, a possibilidade de se satisfazer com o enredo é mais fácil. Que bom que você gostou. Eu fiquei apaixonada pelas fotos que você compartilhou e me deu vontade de ter o livro nas minhas mãos.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi!

    Tudo bem? Então eu não acho que o livro me agradaria, sei que você teceu elogios a ele, mas achei a história bem estranha e confusa (e você disse que ela é bem confusa no começo da narrativa e aí eu sei que já teria deixado o livro de lado).

    Uma coisa que sempre escuto é comentários como "não esperava nada do livro e ele me surpreendeu positivamente" (tipo o que você fez no fim da resenha) e eu tenho a posição exatamente oposta, todo livro que escolho para ler fico com a expectativa de seja absolutamente incrível ou nem perderia meu tempo, acho que por isso tenho menos de 50 obras favoritas sendo que já li mais de 300 livros :(

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  7. Oie!!
    Ah gente que história curiosa!!
    Não conhecia o livro e confesso que essa capa nao me atraiu em nada, não sou muito fã de historias sombrias, mas que coisa boa que o livro de surpreendeu e que mesmo não sendo o final feliz que esperava fico bem feliz em saber que te conquistou da mesma forma.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  8. Olá...

    Adorei a resenha!
    Gosto muito de infanto juvenis também, agora quando você mencionou que os personagens são fora de padrões me animou muito a ler, pois, adoro quando os autores valorizam pessoas que não são perfeitas.
    Anotei a dica!
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Olá!!
    Bem bacana a sua resenha, muito bem detalhada.
    Mas o livro não me chamou muito a atenção, não por ser infanto-juvenil, mas pela história em si.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Achei essas ilustrações muito bonitas e totalmente condizentes com a sua resenha, tudo meio estranho mas que chama a atenção! Não conhecia essa obra e também não esperaria nada, mas ao conferir sua opinião, fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Larissa

    Aii que edição lindinha! Adorei as ilustrações.
    Realmente parece uma história um tanto quanto sombria e também achei esse lance dos objetos de nascença muito legal... se eu tivesse um eu iria querer que o meu fosse uma cama!Só ia ser um pouco difícil ficar o tempo todo com ela! Hahahaha
    Achei a história bem bolada, só não leio pq é juvenil demais pro meu gosto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá, Larissa! Tudo bem?

    Adorei a sua resenha, ficou bem escrita. Eu já li "O Segredo de Heap House", assim como você, eu recebi por meio da parceria com a editora. O livro é de fato bem legal, muito bom, tem uma história bem trabalhada e envolvente, eu adorei e recomendo!

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Esse livro está na minha lista de desejados há algum tempo, pois achei a história dele incrivelmente interessante e estranha rsrs
    O mais legal é que o autor soube trabalhar bem o enredo sem deixar ele louco demais ou bobinho, e isso me faz ficar com mais vontade ainda de ler esse livro

    ResponderExcluir
  14. Oi querida!
    Ainda não li nenhum livro como esse. Achei muito original a premissa do livro, e as ilustrações apenas reforçam o gênero do livro ♥
    Amei toda a resenha e espero ler o livro em breve.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  15. Hey, Lari, tudo bem?
    É tão bom quando lemos um livro sem pretensão nenhuma e nos surpreendemos. Entendi o que você quis dizer sobre esse livro ser estranho, mas num sentido bom. Achei a premissa dele muito interessante, principalmente, por os personagens não serem estereotipados, estou cansada disso. Além disso a edição está maravilhosa! Vou super anotar a dica.
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?
    Nossa que livro lindo, que edição mais linda ♥
    Não conhecia a obra, mas quero para ontem, só por essa capa linda eu compraria!
    Adorei a resenha, um beijo.

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger