Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: O menino feito de blocos


Título: O menino feito de blocos • Autor: Keith Stuart • Editora: Record • Páginas: 378 • Ano: 2016

 Eu confesso que não tinha nenhuma expectativa em relação ao livro e eu nem ao menos sabia sobre o que ele tratava, logo iniciei a leitura completamente às escuras, por isso não estava tão animada assim com a mesma. Mas já nas primeiras páginas fui conquistada e com o decorrer da leitura percebi que esse livro me proporcionaria uma leitura realmente muito sensível e bonita.
 Conclui a leitura completamente cativada pela história, o autor trouxe personagens tão amáveis e humanos que me apeguei muito a eles, também sorri e chorei com os acontecimentos, os assuntos abordados também são muito interessantes e tudo foi tão bem construído e construído de uma forma tão sensível que é impossível não ser conquistado.


 Em "O menino feito de blocos" vamos conhecer Alex, ele é casado e tem um filho autista, o Sam, mas por não saber lidar com o garoto e também com outros assuntos do passado, ele passa a maior parte do seu dia trabalhando e meio alheio ao resto das coisas.
 Acontece que Jody, sua mulher, não aguenta mais a situação deles e um dia ela manda Alex embora de casa, pois os dois precisam de um tempo. Então para piorar, Alex é demitido de seu emprego e agora precisa repensar sobre o que é importante na sua vida e em que deve mudar e melhorar.
 Alex sempre pensou no seu filho da forma errada, era como se o garoto fosse um problema por ser diferente e difícil de lidar, tanto que para não precisar lidar com ele Alex se mantinha sempre trabalhando e distante, mas agora ele começa a notar que isso foi errado e pensa em algo para se aproximar de seu garotinho.
 Então um dia Alex encontra uma forma, é através do Minecraft, um jogo, que ele começa a se envolver cada vez mais com seu filho, a conhecer o garoto e entendê-lo. Agora ele só precisa se esforçar para conseguir compreender seu filho melhor e ser realmente um bom pai para o garoto.

"A vida é uma aventura, não um passeio. É por isso que é difícil."

 Acredito que um dos pontos mais incríveis e que deve ser mencionado primeiro é a questão do autor trazer a importância que um jogo digital pode ter na vida de alguém, pois geralmente as pessoas não veem por esse angulo, elas costumam ver e questionar mais os contras do que os prós.
 E aqui, nesse livro, vamos ver o quanto Minecraft mudou a história de um pai e um filho, que por meio do jogo os dois se aproximaram mais, mas também vamos ver o quanto o jogo foi importante para a criança com autismo, pois o jogo proporciona para a pessoa a possibilidade de ser o que quiser, fazer o que quiser, isso inclui enfrentar seus medos e isso acaba refletindo na realidade da pessoa, além do fato de que jogos também ajudam muito na interação com outras pessoas.


 Mas não é apenas esse assunto interessante que o livro aborda, ele também traz as dificuldades que os casais passam quando os filhos nascem, pois a rotina muda e às vezes tudo se torna tão difícil a ponto do relacionamento acabar se desgastando.
 Também fala sobre problemas e acontecimentos do passado que acabam moldando uma pessoa e interferindo no futuro dela, coisas que devem ficar para trás, mas que é tão difícil que muitos não conseguem deixar.
 Além desses assuntos há outros também como: perdas, escolas que não dão a devida atenção para alunos especiais, a questão das pessoas se acomodarem em um trabalho que não gostam, mas que parece seguro, entre outros.


 A diagramação do livro está muito bonita, começando pela capa que tem uma arte simplesmente incrível e alguns detalhes em relevo. Por dentro é tudo muito simples, não há detalhes, mas o tamanho da fonte está agradável e as folhas são amareladas.
 A leitura do livro é extremamente fluida, logo no início o leitor se vê envolvido com a história e ansioso para saber mais. Toda narrativa é feita pelo ponto de vista de Alex, o que achei muito interessante, pois acompanharemos o autismo do lado de fora, pela visão de um pai e não pela do garoto, e apesar disso dá para compreender todos os personagens.

"A vida impõe muitas barreiras para as pessoas que são diferentes. Qualquer ferramenta que nos ajude a apreciar essas pessoas (sejam elas quem forem, não importa como diferem de nós) é uma coisa preciosa. Isto foi o que aprendi e sobre o que este livro trata."

 Os personagens são todos muito cativantes e bem construídos, o leitor vai ser conquistado por todos eles, pois são personagens humanos e isso faz com que a gente compreenda eles e até se identifique.
 Sam é um garoto muito inteligente e surpreendente, mas que por conta do autismo não é compreendido por ninguém e ele só precisa se sentir seguro para mostrar quão inteligente é.
 Alex é um dos personagens mais humanos que já vi em um livro, ele errou feio em vários momentos da sua vida, muitas vezes fugiu das situações, também não consegue lidar com o passado, muito menos deixá-lo para trás. Mas tudo isso o torna cativante, pois ele é como qualquer um de nós, não sabe lidar com muita coisa e admite isso, mas ele perceber que tem um problema e decidir mudar faz com que conquiste o leitor mais ainda.


 Jody não tem tanto foco na história, embora apareça bastante, mas também é cativante e o leitor consegue entender os motivos para ela ter mandado Alex embora e é uma boa mãe.
 Temos Emma também, a irmã de Alex, uma garota que decidiu viver sua vida viajando por vários países como forma de fugir de todos os problemas que sua família estava enfrentando, ou melhor, problemas que estavam tentando fugir também.
 Então temos outros personagens bacanas como Dan, o melhor amigo de Alex e outros amigos da família.


 Basicamente é impossível não ser conquistado por esse livro, pois ele traz uma história muito bonita e escrita de uma forma muito sincera e sensível, sem contar que foi inspirada na história do próprio autor com seu filho, então tudo se torna ainda mais bonito e interessante.
 Do começo ao fim esse livro agrada, não encontro pontos negativos para destacar e o final foi simplesmente maravilhoso, tanto que me emocionei muito e até chorei de emoção e felicidade, porque realmente o autor conseguiu trazer uma cena incrível.

"Enquanto todo o resto era caos nas nossas vidas, tínhamos um lugar para onde podíamos escapar e explorar - um lugar que tinha lógica, regras e fronteiras definidas. Sabíamos onde estávamos. Estávamos seguros e podíamos fazer o que quiséssemos."

 Enfim, essa foi uma das leituras mais sensíveis que já fiz e fui completamente conquistada por todos os detalhes dessa história, principalmente pelos personagens, por isso eu recomendo muito a leitura, porque acredito que você também irá se emocionar e ser conquistado pelo o que está escrito nessas páginas.

(livro recebido em parceria com a editora)

Deixe um comentário:

  1. Oi, tudo bem?
    Cada vez que leio resenhas sobre a obra mais tenho vontade de ler o livro! Não teve uma pessoa que eu vi falando e não se emocionou com a história!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Larissa!
    Parece um livro que passa bastante emoção!
    Acho que no início eu ia me irritar e ter vontade de bater no Alex, mas pelo que você diz, ele vai evoluindo. Essa interação entre pai e filho parece tão linda! *.*
    Se eu vier a realizar a leitura, espero sentir as sensações gostosas que você sentiu. ^^
    Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Como professora de educação tecnológico sei bem os prós e os contras os jogos digitais. Já tinha lido uma outra resenha sobre o livro e já estava na minha lista de leituras, sua resenha só fez reforçar a vontade de conhecer por mim mesma a história e saber o que acontecerá com Alex e Sam nessa fase juntos. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  4. Olá ♥
    Desde o lançamento desse livro estou louca querendo ler. Achei muito interessante e diferente a premissa, pois imagina o quão feliz o pai desse garoto não ficou. Acho que eu ficaria meio depre na parte do livro em que se refere que o pai se afunda em serviço por causa do filho, eu como mãe ficaria meio assim. Mas amo livros que nos fazem pensa. E parece ser uma leitura que vai mexer com meu emocional, e prevejo lágrimas. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi amore,
    Esse livro está em minha lista de desejos, já quero a algum tempo, e com sua resenha minha vontade de ler só aumentou pra ser sincera.
    Gostei de sua análise, parabéns!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Agora que você explicou a história, o título faz todo sentido. Quase comprei esse livro dia desses, mas fiquei receosa sobre quao boa ela seria, e de fato me arrependi, ela é ótima! Quero poder conferir logo.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Nossa, não sabia que essa obra tocava um tema tão sensível assim. Confesso que minha visão de MInecraft não era das melhores, mas depois de conferir a sua resenha estou vendo por um outro lado, porque realmente um jogo digital pode mudar a vida de uma pessoa. Adorei conferir suas considerações, espero poder fazer a leitura em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?

    Li uma resenha de "O menino feito de blocos" e me apaixonei.

    Sempre me emociono quando alguma 'síndrome' é abordada no enredo, ainda mais o Autismo, onde a realidade da pessoa é mais delicada.

    Adorei ler suas impressões (:

    ResponderExcluir
  9. Oie! Tudo bem?

    Já li algumas resenhas sobre esse livro, e por mais que todas tenham sido muito positivas ele continua não me chamando a atenção, falta alguma coisa que faça com que eu queira realizar a leitura! Mas fico feliz que tenha gostado da leitura!

    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Oiee ^^
    Eu também não sabia o que esperar do livro, também fui conquistada nas primeiras páginas, e também adorei o livro. Fiquei tão triste quando acabou...haha' sem contar que chorei numa certa parte do final *-* hehe' seria incrível se fosse adaptado, né? Fico feliz em saber que também gostou bastante ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  11. Oie
    eu tenho o livro aqui em casa e quero muito ler em breve pois sou suspeita por adorar esse gênero mais pesado sobre doenças, muito legal sua resenha e sua dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Lari

    Que bom que você gosto tanto da leitura. Também acho bem legal essa aproximação que o jogo causou entre pai e filho. Eu acho o tema interessante, mas não seria uma leitura que eu faria agora, estou em um momento de histórias românticas, mas não descarto a leitura no futuro.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Preciso realmente ler esse livro. Diversas pessoas já recomendaram ele e parece muito bom. Ainda não li pois não tive como comprar, mas está na minha lista de livros para este ano.
    Bjs

    www.salaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bom?
    Acredita que tenho esse livro na estante e não tinha pegado para ler por não saber ao certo o que esperar dele? Pois é! Agora, lendo sua resenha e vendo que se trata de um livro extremamente sensível e que toca o leitor e, que além de abordar o autismo, ainda fala sobre a mudança na rotina e na vida de um casal com a chegada de um filho, me deixou com vontade de começar a lê-lo imediatamente! Vou realizar a leitura em breve e espero gostar tanto quanto você! Ótima resenha, fotos lindas!

    Beijos!!
    entrelivrosepersonagens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oiee!!
    Já tinha lido uma resenha desse livro e amei a premissa...
    Um pai aprendendo a lidar com um filho autista só pode trazer muitas emoções..
    Também fiquei curiosa sobre a influência do jogo para o menino, e como ele ajuda a criança a estabelecer contatos.
    Espero poder ler algum dia...
    Um beijo!

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  16. Desde que vi esse livro, fiquei encantada pela capa e pela sinopse. Gosto de tudo relacionado ao autismo e o modo como o pai conseguiu se aproximar dele, através d eum jogo simples, é incrivel e valoriza tudo aquilo que muitas pessoas demonizam(os jogos).

    Cresci jogando muitas coisas, especialmente o RPG que é tão satanizado por algumas pessoas que o utilizam como justificativa para não fazer uma ou outra coisa.

    O que você disse também sobre as dificuldades no casamento quando a imagem do filho esperado é quebrada e como convivem com isso, também deve ser muito interessante de acompanhar.

    Ótima dica, já está entre meus desejados!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Realmente dificilmente vemos os prós de alguns jogos, sempre vemos os contras. Gostei do autor trazendo este assunto e ainda conseguir tratar de sentimentos e um assunto um tanto preciso. Não sou muito de jogos, mas acredito que o livro tenha uma missão especial de nos cativar e fazer nos apaixonar por estes personagens tão bme trabalhos.

    ResponderExcluir
  18. Oi Lari, tudo bom?

    Fiquei chocada pq meu comentário anterior não foi T.T haha mas vamos nós tentar de novo haha

    Quando eu vi o seu post achei que fosse só um livrinho sobre minecraft, daqueles que aparecem depois de um jogo e série fazer sucesso. Achei a premissa desse livro muito interessante, ainda mais por se tratar de uma história baseada em um fato real.

    Acho que por causa de todos os mitos que o autismo tem, a gente acaba tendo um certo fascínio por esse assunto, romantizando a coisa e poder ler algo que conte uma história com realismo é sempre muito enriquecedor.

    Eu a um tempo atrás li um triller de suspense em que o protagonista era autista, era baseado em fato real também e amei, com certeza vou adorar esse.

    Bjs
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  19. Oie, juro que comentei antes, tipo umas 5 linhas, mas vou tentar lembrar o que coloquei.
    Bem, fui igual a ti, quando vi a capa nem ligava nome ao assunto, nada me fazia querer ler o livro, até que vi uma resenha antes da tua que me mostrou o quão bom e reflexivo é. Ver que a aceitação e compreensão vem de dentro de casa é a melhor parte, perceber que ter um filho especial não é algo ruim, mas sim uma benção, não sei se consegue entender. Cada um é diferente e ele entender e amar o filho assim foi a maior lição que o livro dá.
    Xoxo

    ResponderExcluir
  20. Olá!! Eu adoorei os #Quotes, e só por ele já realizaria a leitura, com certeza. haha É ótimo uma leitura nos surpreender. Adooro!!
    Parabéns!!
    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger