Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: Dias Nublados


Título: Dias Nublados • Autora: Dany Fran • Editora: Empíreo • Páginas: 276 • Ano: 2015

 Quem me conhece sabe que eu gosto de ler um livro sem saber nada sobre ele, muitas vezes nem a sinopse leio e foi o que aconteceu com esse livro. Eu não sabia o que esperar dele e por isso acabei não criando expectativas, o que foi bom, porque assim não fui decepcionada, embora não tenha gostado muito da história.


 Em "Dias Nublados" vamos conhecer Izadora Morgan Luchetta, uma artista plástica que está quase realizando seu sonho de fazer uma exposição em Florença, mas as coisas começam a dar errado.
 Os membros de sua família não vão conseguir comparecer à exposição e isso não agrada nenhum pouco Izadora, mas então por conta de uma tragédia, a exposição da artista acaba sendo adiada para muitos meses depois do que estava marcado.
 Agora a artista decide voltar para o Brasil, a mesma encontra com velhos amigos e acaba entrando para a organização do Encontro Internacional de Artes, mas a vida é imprevisível e as coisas vão começar a dar errado novamente.


 Esse é um livro que vai te fazer refletir muito sobre as suas atitudes e como está vivendo sua vida, pois ele traz acontecimentos que vão te fazer parar um pouco para pensar, principalmente por ser uma história que aborda a morte e esse tema sempre causa reflexões.
 É uma história que vai te mostrar que nem sempre você vai conseguir ter tudo o que quer, pois em um minuto tudo pode mudar na sua vida e consequentemente seus planos passam a serem outros.
 No entanto, a protagonista não conseguiu me conquistar, pois a maior parte do tempo a vi como uma garota mimada que só ligava para ela mesma, extremamente egoísta em vários momentos quando deveria é agradecer. Tudo bem que é frustrante ver seus planos serem interrompidos ou adiados, mas há coisas mais importantes que a carreira da pessoa ou a exposição da mesma. Por exemplo, uma das partes em que eu fiquei irritada com a Izadora foi quando a mesma soube do acidente envolvendo toda a sua família e ficou brava porque agora eles não iriam mais em sua exposição. Pelo amor de Deus! A garota devia ter erguido as mãos para o céu e agradecido por todos terem escapado vivos, mas a preocupação dela era sua exposição.
 Por conta de eu não ter gostado da protagonista, ficou mais difícil me envolver com a história da mesma e eu confesso que não consegui ver um grande amadurecimento na personagem, embora ela tenha aprendido um pouco.
 Os outros personagens não possuem tanto espaço na história, eles são apresentados, dá para gostar de alguns e conhecê-los, mas o foco mesmo é a Izadora.

"Realmente podemos rezar ou enviar boas energias para a alma dos que se foram de qualquer lugar. Mas o velório é mais que uma forma de nos despedimos, é um lugar onde doamos nosso carinho aos que ficaram. Não é só por quem se foi, mas também por quem ficou."

 O acontecimento que muda completamente a vida de Izadora e que está na sinopse do livro só acontece lá pelo meio da história e apesar de ser algo triste, eu não consegui me emocionar muito, pois não me envolvi com a história.
 Mas a partir dessa parte foi que eu achei que a história começou a melhorar, a protagonista se afundou em um mar de tristeza e luto, o que vai fazer o leitor refletir muito sobre toda a situação e ao final aprender um pouco com a Izadora.


 A diagramação do livro está muito bonita, começando pela capa que tem essa arte incrível e por dentro há esse detalhe lindo nas trocas de capítulos, além disso as folhas são amareladas.
 A narrativa é feita pelo ponto de vista de Izadora, alternando o passado e o presente da protonista e isso é interessante para entender melhor todo o desenrolar da história, mas eu confesso que não foi fluída e algumas informações que foram inseridas no livro eu não encontrei um objetivo para elas, basicamente algumas pareciam desnecessárias.
 Um ponto interessante para ressaltar é que a autora nos apresenta algumas coisas e lugares de Florença, o que faz com que a história fique mais bacana e também há várias partes sobre arte.


 Esse é um livro que não conseguiu me conquistar muito, teve alguns pontos negativos que acabaram atrapalhando o meu envolvimento com a leitura, mas apesar disso, é uma história que aborda temas interessantes e que vai te ensinar algo.
 Além disso, os acontecimentos são reais, é algo que pode acontecer com qualquer um e isso acaba mexendo com o leitor de alguma forma e a gente também acaba fazendo um comparativo nosso com a protagonista.
 Enfim, infelizmente o livro não funcionou muito bem para mim, mas acredito ter tirado uma boa mensagem dele e por conta disso eu recomendo a leitura para todos, pois creio eu que depois de ler essa obra, o leitor vá pensar e até mesmo realmente mudar.

(livro recebido em parceria com a autora)

Deixe um comentário:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse título e nem a autora. Uma pena que o livro não conseguiu lhe conquistar tanto, é uma pena quando isso acontece. Sobre a capa, realmente a arte está bem bonita.. entretanto, confesso que a premissa não chamou a minha atenção, por isso não sei se leria nesse momento.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. oie que pena que o livro acabou não sendo cativante para você. a leitura se torna realmente complicada quando não nos envolvemos com os personagens, mas acho que eu daria a chance para o livro por causa desse acontecimento que faz a isadora refletir sobre a morte e o luto e dor.

    ResponderExcluir
  3. Li o livro no inicio do ano e ao contrario de você , fiquei mega envolvida com a leitura. Como você disse, o que acontece no Livro é bem real e isso me fez ter empatia pela protagonista.
    A arte gráfica é linda não? Empireo sempre arrasa!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu não conhecia o livro e tenho muita pena que não tenhas conseguido envolver-te na leitura, por alguns pontos negativos que prevaleceram! :)

    Realmente, quando não nos conseguimos envolver na leitura, não costuma funcionar mesmo... Mas ainda bem que a situação real nos leva a sentir mais "empatia".. :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Não conhecia a autora /obra.
    Achei interessante a ideia da história, dessa artista que sofre uma gd perda, revezes,pelo que mostra a sinopse.
    Mas lendo sua resenha vejo que é um pouco diferente do que eu tinha ideia.
    É chato qdo não nos identificamos com a história, mas não é incomum. As vezes um livro não toca o coração mesmo. Como não é bem um estilo/gênero que eu aprecie muito, não seria um livro para minha lista.
    Gostei bastante da sua sinceridade na resenha.
    Bj

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu já tinha visto uma outra resenha do livro, mas eu já nem lembrava do que se tratava o livro mais kkk. Eu tambem gosto de pegar alguns livros sem nem saber do que se trata, apenas pela capa mesmo rsrs. É sempre bom não criar expectativas porque ela sempre mata você rsrs, e é uma pena o livro nao ser de todo o seu agrado. Adorei saber que ele traz coisas pra refletir. Até mais vê
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu fico extremamente decepcionada também quando vejo um personagem que não me agrada, li outro livro exatamente da mesma maneira, com uma personagem mimada e infantil e definitivamente a leitura não fluiu como eu queria, então te entendo. A premissa parece trazer uma mensagem importante, mas não me chamou tanta atenção. Sua resenha ficou incrível, muito bem escrita!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    É a primeira vez que leio alguma resenha do livro e fiquei intrigada com a premissa dele. Amo livros refletivos que nos fazem pensar sobre tudo, sobre nós mesmos, as pessoas que nos cercam, a humanidade e o mundo em geral. Porém, considero essencial que os autores saibam trabalhar os protagonistas, eles precisam nos cativar e acredito que pelas coisas que você mencionou, Izadora também não me agradaria. Como assim, a família sofre um acidente e ela pensa em si mesma! Desde que a autora saiba amadurecer a personagem, creio que seja uma leitura válida.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem??

    Achei essa capa linda! E tem muita relação com a história por ela ser uma artista, né?! Uma pena que ele não foi tudo aquilo... A escrita é fundamental para o livro nos conquistar... Li recentemente um livro que tive a mesma impressão, aliás, ele era bem parecido... também era todo trabalhado nas trocas de capítulos!

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas já vi que não vou gostar dessa protagonista. Conforme fui lendo a resenha, percebi que a chatice dela não vai me deixar gostar dessa história. Que pena que não gostou da história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Olá, Larissa!
    Que pena que não gostou. Mesmo sem colocarmos expectativas é muito ruim quando não conseguimos nos conectar com um livro, principalmente quando é por causa de algum protagonista mesquinho, mimado ou egoísta. Eu odeio quando isso acontece comigo.
    Pelo menos o livro traz algumas reflexões sobre vida, não foi tudo em vão!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Olá, Lari.
    Achei que essa capa não combina muito com o título do livro, apesar dela ser bonita.
    Nossa, já não gostei da Izabela logo de cara. Ela deveria ter agradecido pela família dela estar viva e não reclamar que não poderiam ir na exposição dela. Quando a protagonista não nos conquista fica difícil o livro como um todo nos conquistar também. Uma pena.
    Abraços.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Só pela sua resenha já deu para ver que a personagem não é cativante. Uma pessoa que só pensa em si mesma não é bem vinda e isso deixa a história bem desgastante e maçante. O tema que a autora abordou que é a morte é bem intenso, mas como a personagem parece não ligar muito acabou deixando a leitura fraca. Não me motivei a ler esse livro, por isso vou deixar essa dica passar.
    Amei a sua resenha pois soube aborda todos os pontos da história e dar a sua opinião.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Oi Lari, muitas vezes eu faço como você, e escolho um livro sem nem ter ideia do que ele se trata. Infelizmente às vezes acabo lendo algo que não me agrada. Eu não conhecia Dias Nublados, e vou procurar saber mais sobre ele e a autora. Quem sabe não me conquista? Até porque eu gosto de livros que me fazem pensar... Abraços

    ResponderExcluir
  15. Oi Larissa, tudo bem?
    Comecei a ler sua resenha e ao ver do que se trata a obra eu senti certa curiosidade, e por mais que você não tenha gostado tanto assim da obra eu me senti cativado a lê-la e tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  16. Oi Larissa, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro ainda e devo dizer que infelizmente não chamou minha atenção, talvez os pontos negativos tenham me desmotivado, mas talvez um dia desses dou uma chance a ele, vamos ver. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger