Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: Como tatuagem


Título: Como tatuagem • Autor: Walter Tierno • Editora: Verus Editora • Páginas: 308 • Ano: 2016

 Eu não li nada e não conhecia o autor, então não tinha grandes expectativas e isso foi bom, pois assim não fui decepcionada. É uma história que demorou muito para me envolver por conta dos personagens não me conquistarem, mas traz uma bela mensagem e valeu a pena conhecer.


 Em "Como tatuagem" vamos conhecer Artur, um cara rico que é extremamente egoísta e desagradável, ele não respeita nenhum pouco as mulheres, para ele o importante é só levá-las para a cama, depois disso começa a ser "escroto" e as trata mal com a intenção das garotas nunca mais pegarem no pé dele.
 Do outro lado temos Lúcia, uma fisioterapeuta portadora de vitiligo que sofre muito preconceito com isso, mas que consegue se manter forte com ajuda materna, só que sua mãe acaba falecendo e agora a vida de Lúcia vai mudar muito.
 Então um dia Artur sofre um grave acidente de carro, onde perde as pernas e precisa de ajuda médica para lidar com isso, e é então que Lúcia surge em sua vida como a fisioterapeuta contratada pela mãe dele.
 Acontece que os dois já se conheciam antes e não foi uma relação nada agradável, tanto que uma atitude de Artur machucou muito Lúcia, mas agora eles precisam se relacionar novamente.


 Artur é um dos piores personagens que já conheci, ele é muito mal educado, tanto que fala palavrão durante todo o livro, é muito grosso com as pessoas e extremamente machista, tanto que usa as mulheres como quer e depois as dispensa sendo maldoso com elas. E depois do acidente, como é esperado, ele fica ainda pior, sendo desrespeitoso com os profissionais que são contratados para cuidar dele. Para vocês terem uma noção, há uma passagem no livro que ele tira o "pau" para se masturbar na frente de sua psicóloga depois de já ter feito algumas perguntas muito grosseiras e depois a chama de "psicobosta". 
 Tudo bem que o cara está passando por algo muito difícil, mas não dá para compreender essas atitudes ridículas e imaturas do personagem e consequentemente foi impossível ser conquistada por ele.
 Além disso, eu realmente não consegui ser convencida pelo motivo do personagem ser desse jeito, ele é uma pessoa sem escrúpulos que sabe que é um idiota, mas que não muda e eu tentei compreender, mas não deu e eu só consegui sentir raiva dele em praticamente todos os momentos, tanto antes quanto depois do acidente.
 Mas ele muda um pouco quando começa a se relacionar com Lúcia, e esse é um ponto positivo, pois o personagem não muda de forma drástica, mas de uma forma mais convincente e realista.

"Quando a vida sai do eixo e você não sabe como nem em que momento aconteceu o desvio, fica difícil reencontrar o caminho. A ironia é que, muitas vezes, tudo o que você precisa fazer é olhar para o lado, porque a resposta está ali. E essa resposta pode ser simplesmente outra pessoa que também se perdeu, e tudo que vocês precisam fazer é caminhar juntos."

 Lúcia é uma personagem que ao mesmo tempo que eu gostava, eu também não gostava muito, ela era uma boa pessoa na maior parte do tempo, mas em alguns a achei bem infantil ao atacar as pessoas e até mesmo um pouco dramática demais.
 No entanto, achei muito bacana o autor abordar o vitiligo - que para quem não sabe é aquela doença que causa a perda de pigmentação da pele, como aconteceu com Michael Jackson - pois é algo que nunca li em nenhuma história antes.
 Há outros personagens na história, mas o foco está mais nesses dois personagens, tanto que os outros não aparecem muito e não dá para se apegar à eles.


 O romance nessa história não é todo cor de rosa e fofo, ele é cheio de atritos e mais real, sem todos aqueles clichês fantasiosos que vemos na maioria dos romances e isso é algo que me agradou muito, pois aqui temos um romance mais imprevisível e real, embora alguns conflitos eu deva confessar que não me convenceram.
 Toda a situação de Artur fará o leitor refletir muito sobre sua própria vida, pois nessa história temos um personagem que praticamente possui tudo o que quer, mas que não é feliz de verdade e que só depois de perder algumas coisas é que acorda pra vida.
 E também vamos refletir um pouco com Lúcia e até mesmo nos identificar com ela, pois a mesma não consegue se aceitar realmente como é e sofre preconceito, assim como muitas mulheres.
 Um ponto que alguns leitores podem ver como negativo é o fato de ter muitos palavrões no livro e eu confesso que também não gosto disso, mas nessa história achei necessário, pois Artur é grosso e a linguagem combinou com o personagem.


 O livro possui uma capa muito bonita, com uma arte que forma dois rostos e a combinação de cores está incrível. Por dentro é tudo bem simples, não há detalhes nas trocas de capítulos, mas a diagramação está agradável, trazendo as folhas amareladas.
 A leitura do livro é fluida e a narrativa é intercalada entre Lúcia e Artur, o que é interessante, pois assim o leitor vai entender melhor o lado dos dois na história.


 Basicamente esse é um livro que não conseguiu me conquistar muito, mas que ao mesmo tempo me agradou em vários pontos, sendo o principal a mensagem que a história acaba trazendo para o leitor.
 Enfim, é uma história interessante que vale a pena conhecer, pois há grande chance de alguma forma ela mexer com você e te fazer refletir, por isso eu recomendo a leitura.

(livro recebido em parceria com a editora)

Deixe um comentário:

  1. Olá
    Essa é a segunda resenha que leio sobre esse livro e parece ser interessante, apesar de que eu não sei se leria no momento. Algo que fiquei curiosa foi por conta das mensagens destacadas e suas importâncias, e acho legal haver essa inserção da realidade. De qualquer maneira, também achei a capa muito bonita.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Acho que eu nunca tinha lido resenhas sobre esse livro, mas já conhecia o mesmo. Realmente é eu nunca vi e nem li nenhum livro que traga o vitiligo em suas páginas, até achei interessante por isso. Quanto a parte do romance; fiquei bem o contente por não ser aqueles romances bem diferente da vida real, o que me deixou mais curiosos para a leitura da obra. É uma pena que o livro não tenha te agradado por inteiro, mas te fez querer ler até o fim. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Gostei de saber sua opinião, Larissa!
    Eu não gosto quando um livro tem tanto palavrão assim, vou pensar duas vezes antes de querer ler esse livro, rs. A história me lembrou um pouco Como eu era antes de você ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oii!
    Nossa, eu realmente não sabia que esse livro abordava virtiligo! Achei essa uma ideia muito boa e diferente, já que eu também nunca li nada que tratasse disso. Já tinha visto esse livro nas estantes de livrarias e tinha me apaixonado pela capa, a editora realmente fez um trabalho incrível, e o título também me atraiu bastante.
    Porém, fiquei revoltada com a forma que o personagem masculino se porta. Achei sua resenha bem interessante, ainda mais por ser bem crítica em relação ao comportamento do homem. É um livro que eu provavelmente vou demorar muito para ler, já que ter comportamentos assim e ainda ter uma personagem feminina dramática demais geralmente não me deixam muito animada.
    Mesmo assim, uma ótima resenha, é sempre bom ver gente colocando os pontos que não gostaram em um livro nas opiniões :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  5. Eu adorei a capa e o título do livro, fiquei bastante curiosa pra ler mesmo que ele não tenha te conquistado.
    Eu também nunca li algo que retratasse essa doença, vou adorar conhecer um pouco sobre ela e a mensagem que o livro aborda.
    Eu não me importo com palavrões, ainda mais que, como você disse, é algo que combina com a personalidade do personagem!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    É a primeira vez que leio uma resenha desse livro e devo admitir que já fiquei assustada com a falta de caráter de um personagem tão machista. Não deve ser uma leitura fácil por conta desse detalhe, mas desde que o personagem amadureça de forma adequada e realística, não vejo problemas em prosseguir com a leitura. Não conheço muito bem a doença que a moça possui, mas posso imaginar como o preconceito ocorre bastante. Gosto quando os autores colocam temáticas importantes em histórias de romance, então anotei a dica. Adorei a sua resenha.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Detesto encontrar em livros personagens como Artur, assim tão machista e grosseiro, logo, isso foi um ponto que me desanimou a leitura, ma, por outro lado, fiquei curiosa para saber como o autor desenvolveu a história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Adorei saber que o romance não é só fofura, gosto de coisas mais reais e próximas do que estou acostuma a presenciar como um todo. Achei a trama interessante, e acho que vou morrer de raiva desse cara também, porque tinha que ter logo o nome do meu marido? hahaha
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, Lari.
    Eu conheço o autor Walter Tierno mas ainda não li nada dele.
    É bom quando a gente começa um livro sem esperar muito dele, porque desse modo, não nos decepcionamos se não gostarmos no final.
    Nossa, que história complicada essa do Artur com a Lúcia, mas o Artur é muito machista e muito desagradável como pessoa, eu acho que a Lúcia deve ter sofrido muito por conta dele.
    Que bom que o livro passa uma boa mensagem.
    Abraços.

    Papel, Palavra, Coração

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Nossa, que livro mais estranho. Não consigo me imaginar lendo um livro com um personagem sem escrúpulos que chama a psicóloga de psicobosta, sério. Também não gostei de saber que o motivo que ele é assim não te convenceu. Mesmo o livro ganhando um ponto positivo por as mudanças do personagem terem sido reais e aceitáveis, vou deixar a dica passar, pois acho que as partes negativas são mais fortes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Adorei a sua resenha, muito concisa, coerente e sincera! Eu detesto homens assim, como feminista tento combater o machismo diariamente e quando vejo personagens assim me irrito muito. Eu não conseguiria concluir a leitura, eu acho, e por isso acabei não me interessante no livro. Personagens assim não injustificáveis.

    Parabéns pela resenha!

    beijos =)

    ResponderExcluir
  12. Conheci o livro e o autor na bienal, mas não o li ainda. Acho que a parte fundamental do uso de um palavrão é se ele tem porquê está ali, e se isso faz parte do personagem eu entendo e gosto. Outra coisa que gosto e o fato do livro ser narrado por ambos os protagonistas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi
    Tenho visto resenhas bem negativas a respeito desse livro e por isso não incluí em minha lista de leitura. Acredito que o personagem e seu jeito escroto acabe afastando os leitores, embora faça parte do contexto.
    Adorei sua resenha sincera, mas no momento não arrisco a leitura.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  14. Helloo, tudo numa nice?!
    Quando tinha visto que era brasileiro fiquei curiosa para conhecer, mas depois que vi a sinopse percebi que não curtiria pois estou fugindo de estórias nesse estilo. Mas quando vi que o livro tratava de um tema importante como Vitiligo, fiquei novamente curiosa para ler. Mas depois que notei que o Artur é um grosso e usa palavrão em todo tempo já desanimei e posso afirmar com certeza que não lerei o livro. As atitudes do personagem não me agradam e toda essa bruteza e grosseria também. Mesmo com a Lúcia não sinto que posso gostar do livro ou simpatizar de alguma forma.
    Enfim, ótima resenha, esclarecedora e bem escrita.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?

    Nunca havia lido nada a respeito desta obra e achei o enredo da historia bastante interessante.

    Logo de cara já não gostei de Artur (acho que todos compartilham o mesmo)e ainda assim creio que vale a pena dar uma chance à história e entender melhor a personalidade de cada um.

    Obrigada pela dica e parabéns pela resenha (:

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Confesso que não leria esse livro porque essa primeira impressão que tive do Artur foi totalmente nojenta, principalmente por causa desse episódio da masturbação na frente da psicóloga, então vou realmente deixar essa dica de lado. Não gosto de passar raiva enquanto estou lendo hahaha
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Oi Lari, gostei da sua resenha, bem completa. Apesar de todos os problemas e mal criações do personagem Artur, acredito que esse seria um livro que eu gostaria de ler. Primeiro por fugir dos clichês românticos, segundo pela própria personalidade dele. Parece que ele vai em fazer pensar bastante, mesmo se for de forma negativa. Abraços

    ResponderExcluir
  18. Olá Lari =)
    É ruim quando nos decepcionamos com um livro por criar expectativa, que bom que isso não aconteceu com você. Eu gosto de um romance clichê desde claro bem construído, mas agora que deve ter mais livros que fogem do clichês e vão mais para realidade, que bom que esse livro é assim. Realmente a capa do livros é muito bonita. Ótima resenha,blog encantador. Beijos'

    ResponderExcluir
  19. Acho realmente bem legal abordar o vitiligo, já que é uma doença que faz seus portadores sofrerem muito preconceito. Mas não tenho vontade de ler a obra, não gosto de palavrões em livros nem quando combinam com o personagem e não daria conta de cenas como essa da "psicobosta", ninguém merece tanta grosseria. E quando não curto os personagens dificilmente consigo curtir o enredo, mais um motivo pra não ler.

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia esse livro e pra falar a verdade, apesar das várias ressalvas que você apresentou em sua resenha, eu fiquei realmente curiosa com os motivos da personalidade dele e o porque o passado também não deu certo.
    Tenho que te parabenizar por causa da sua resenha... sinceridade é tudo!

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  21. Oie
    Tudo bem? Eu não conhecia o livro e nunca li nenhum livro que tenha um personagem com Vitiligo confesso que esse foi um dos motivos que me chamaram atenção eu não curto muito esses romances com personagens intragáveis porque acabo tomando raiva deles e acabo não gostando tanto da leitura ainda assim eu faria a leitura.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Fiquei bem chocada com a atitude de Artur, um personagem assim é impossível de se gostar. Gostei muito de saber que a autora aborda a doença Vitiligo, por que muitas pessoas sofrem dela e isso é um assunto bem sério. Fiquei mais aliviada de saber que Artur muda um pouco e fiquei intrigada para conhecer como vai ser o relacionamento deles.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger