Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: Patch Adams

O Amor É ContagiosoTítulo: Patch Adams
Subtítulo: O amor é contagioso
Autor: Patch Adams
Editora: Sextante
Páginas: 160
Sinopse: Patch Adams foi criticado oficialmente na escola de Medicina por sua 'alegria excessiva' e recebeu o seguinte conselho de um professor: 'Se quiser ser palhaço, vá para o circo'. Na verdade, Patch queria ser palhaço. Mas também queria ser médico.Ele conseguiu unir esses dois lados tão diferentes de sua personalidade e acabou sendo as duas coisas.A incrível história de Patch, que inclui ter sido paciente e, mais tarde, médico de uma instituição mental, celebra o triunfo da busca interminável de um ideal.Utilizando métodos nada convencionais e surpresas extravagantes para aplacar a ansiedade dos pacientes, Patch foi o pioneiro na idéia, considerada então 'radical', de que os médicos devem tratar as pessoas, e não apenas as doenças.Compaixão, envolvimento e empatia têm tanto valor para os médicos quanto os remédios e os avanços tecnológicos.

 Eu já tinha visto algumas partes do filme e achado a história incrível, mas confesso que solicitei esse livro para o meu irmão e assim como eu, ele não possui o hábito de ler nada sobre um livro que pretende fazer a leitura, com isso o livro acabou não sendo o que ele esperava e nem o que eu esperava.


 Diferente do que nós imaginávamos, nesse livro não encontramos uma história como a do filme, mas sim várias dicas de como ajudar pessoas que estão passando por momentos difíceis, como levar alegria para quem está em uma cama de hospital ou sozinho em uma casa de repouso.
 No livro o autor vem nos dar dicas de como podemos ajudar as pessoas a se recuperarem fazendo elas rirem e levando um pouco de animação para elas, pois hospitais são sempre lugares muito tristes e para que uma recuperação seja realmente boa é preciso que além da pessoa receber cuidados com sua doença, receba atenção de alguém.
 É triste estar doente e é difícil passar pelos procedimentos de cura, por essa razão o autor diz que é preciso levar alegria para os pacientes, alguém ficar ao lado deles dando atenção e conversando, pois isso embora pareça uma atitude pequena é muito importante.

"Ajudar os enfermos significa mais do que apenas tratar de suas doenças. Significa oferecer-lhes humor, compaixão e amizade."

 Durante a leitura iremos encontrar várias sugestões de como podemos fazer com que o dia de um paciente seja melhor e são sugestões bem divertidas que possuem ilustrações mais divertidas ainda que irão tirar boas risadas dos leitores.
 É um livro bem descontraído, mas que vem falar de algo muito importante e que faz com que o leitor pare e reflita sobre tudo o que está sendo dito ali, porque é algo que poucas pessoas param para pensar, mas são dicas que realmente podem mudar a vida de uma pessoa.


 Além de encontrarmos essas dicas lindas, vemos o autor criticando a forma como os pacientes são tratados, porque a maioria dos médicos acredita que o importante é só cuidar da doença da pessoa e esquece que essa pessoa precisa de atenção também e de algo ou alguém que a distraia desse sofrimento.
 Mas também vemos o autor nos criticando, porque geralmente nós vamos visitar alguém e não levamos alegria para eles, não o fazemos rir e tentamos o distrair, porque estamos sofrendo com a situação também e como não sabemos lidar acabamos passando para a pessoa o nosso medo de perdê-la e a nossa tristeza, o que não ajuda em nada.
 Só que não pense que o autor está ali nos dando dicas de como levar alegria só para quem a gente conhece, ele quer que visitemos outros pacientes, que a gente leve alegria para o maior número de pessoas possíveis, pois é disso que o mundo precisa, de pessoas que ajudem o próximo e que compartilhem alegria.


 O livro não foi o que eu esperava, mas ainda sim me proporcionou uma leitura maravilhosa como eu acreditava que proporcionaria e isso é incrível, porque mesmo não sendo o que eu imaginava, o livro ainda conseguiu ser espetacular.
 É um livro simples, com dicas que não são tão complexas e que qualquer pessoa pode estar colocando em prática, um livro que faz com que o leitor repense sobre sua vida e sinta aquela vontade de fazer a diferença na vida das pessoas, assim como o autor fazia  e como outras várias pessoas fazem.
 Sem dúvida alguma esse é um livro que toda pessoa devia ler, porque ele faz com que você pare e pense sobre muita coisa e que faz com que você queira ser uma pessoa melhor e fazer o bem, porque isso é o que importa nessa vida.


 Ao todo é um livro tão incrível que falta palavras para descrever, é aquele tipo de livro que vai te deixar com um sentimento maravilhoso de que ainda existem pessoas boas no mundo e que você também quer ser uma delas, mas também é aquele tipo de livro que vai te "dar" alguns tapas na cara e te fazer pensar se você está sendo alguém do bem.
 Enfim, esse livro é realmente espetacular e me conquistou completamente, foi uma das melhores leituras que já fiz e por tudo o que ela me causou, por todos os pensamentos e sentimentos que ela me fez ter, eu indico que todos leiam.

"Viva uma vida pela qual possa sentir gratidão."

(livro recebido de parceria com a editora)

Deixe um comentário:

  1. Ouvi dizer que essa é uma estória linda mesmo. Imagino que o livro deve ser emocionante!!

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi. Muito raramente, curto livros com dias, mas esse é especial, pois são dicas importantes, não sei quanto as outras pessoas, mas geralmente, quando alguém está doente, vejo outros com discursos tão infelizes, que em nada ajuda a pessoa enferma.

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Acho que esse livro devia ser lido pelas pessoas que trabalham em hospitais.Ajudar as pessoas devia ser um dom e não uma obrigação. Tenho muita vontade de ler esse livro!
    Bju

    ResponderExcluir
  4. bem, eu conheço de ouvir falar o filme, embora ainda não tenha assistido xD mas nem sabia da existência do livro...
    vou assistir o filme, e caso eu goste, corro pra leitura, embora sabendo que ele difere da história ambientada pro cinema...acho a proposta bem válida para pessoas que trabalham na área de saúde, acho até que para pessoas que visitam pacientes e talz...

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, e sua resenha me fez refletir mesmo assim. Quando vamos ao hospital ver uma pessoa, estamos mais preocupados em querer que ela saia de lá do que levar alegria a ela naquele momento, estamos mais preocupados em perguntar "tudo bem" do que, " o que você precisa?". E isso é algo que precisamos mudar, afinal, afeta não somente a eles, mas á nos também.

    Beijos, Mihh e o Mundo Literário

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu não sabia que tinha o livro :O Eu já assisti o filme várias vezes, acho lindo e choro horrores! Saber que existe o livro me deixou animada!
    Gostei bastante da sua opinião sobre ele. Pretendo lê-lo futuramente =)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. :o Eu vi que tinha o filme desse livro, mas não sabia que tinha o livro. kk
    Mas está demais a sua resenha! Parabéns.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  8. Só conhecia o filme. Mesmo o livro sendo diferente do filme eu fiquei curiosa para ler, pois traz dicas importantes. Eu nunca sei como lidar com pessoas doentes.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. o livro me soa como um auto ajuda, por me parecer isso eu não leria, mas adoro livros que trazem um pouco de alegria a quem ler.

    ResponderExcluir
  10. Lari, nunca vi o filme e nem li o livro, me parece auto ajuda também, mas eu gosto um pouco do gênero e não teria problemas em ler.

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger