Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: O maior amor do mundo




Título: O maior amor do mundo
Autor(a): Seré Prince Halverson
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Páginas: 320
Sinopse: O Maior Amor do Mundo - Ella Beene encontrou a felicidade há três anos, quando parou ao acaso na pequena Elbow e conheceu Joe, que cuidava sozinho dos filhos. Logo os dois estavam casados e a vida parecia perfeita. Até que um dia Joe desobedeceu à sua própria regra – “jamais dar as costas para o mar” – e morreu afogado enquanto tirava fotos nas rochas.




 Quando olhei para esse livro imaginei que encontraria uma história maravilhosa e eu não podia estar mais correta. "O maior amor do mundo" é um livro que todos deveriam ler, se você é mãe vai se emocionar muito por saber como é o sentimento de maternidade e se for filho vai se emocionar muito por ver o quanto é lindo e forte o amor de uma mãe.


 Em "O maior amor do mundo" conhecemos Ella, uma mulher extraordinária que sempre teve o sonho de ser mãe, mas nunca conseguiu e por isso acabou se divorciando de seu marido. 
 Então um dia a vida a leva para Elbow e lá ela conhece Joe, um homem que tem dois filhos pequenos e que acabou de ser abandonado por sua mulher. Logo os dois se apaixonam e ficam juntos, nessa família Ella encontra tudo o que sempre quis, mas um dia Joe acaba falecendo e tudo vira de cabeça para baixo.
 Além de ter que tentar superar a morte de Joe, Ella tem que cuidar de duas crianças e o mercado que Joe herdou de seu avô está falindo, então ela precisa encontrar uma forma de reerguê-lo, mas o pior de tudo é que a mãe das crianças resolve aparecer e pedir a guarda delas, é ai que o mundo de Ella desmorona de vez.

"Não tem nada mais triste do que uma família que vai se acabando aos poucos."

 É impossível não ser conquistado por Ella, ela é uma mulher que sofreu muito e que é uma mãe incrível, ela entrou na vida de uma família que precisava de uma mãe e cuidou da mesma da melhor forma possível, ela os ama muito e é nítido para o leitor isso, por isso sofremos junto com a personagem. 
 Além dela ser uma mãe maravilhosa, ela é uma mulher muito forte e que possui um caráter enorme, ela faz o que é certo mesmo que isso possa causar o seu sofrimento, por tudo isso Ella é uma das melhores personagens que já conheci em uma história.
 Paige é a mãe biológica das crianças e de cara o leitor não irá gostar nadinha dela, mas com o decorrer da história várias verdades vão sendo reveladas e então é impossível não se sentir tocado pela história dessa mulher também e ser conquistado por ela.


 A morte de Joe acontece logo no começo do livro, então não o conhecemos muito e nem acompanhamos o romance dele com Ella, mas podemos perceber pela história que era um romance muito bonito e que não era preciso ter acompanhado mesmo, pois isso só alongaria a história e o foco dela é o amor de mãe.
 Ella sempre sonhou em ser mãe, mas por um problema genético isso não é possível e isso é tão triste, porque vemos o quanto ela queria ser mãe, mas não podia e essa é a realidade de várias mulheres, sendo que por outro lado há aquelas que podem ter filhos e não querem isso ou não valorizam isso.
 A história de Ella vem para nos mostrar que para ser mãe não precisa ter tido a criança, uma mulher para ser mãe tem que agir como uma e que o amor de uma mãe biológica não é maior do que o da mãe que criou.

"Se vocês me perguntarem quem eu amo mais, minha mãe ou minha mulher, eu responderia: Amo as duas, mas de um modo diferente. Uma é o meu passado, a outra o meu futuro."

 O livro também aborda um tema muito importante e que não é muito comentado, que é a depressão pós-parto, algo que acontece com várias mulheres e que as leva para um estado muito lamentável, mas que mesmo sendo algo grave na maioria das vezes não é tratado como algo importante e não é entendido.
 Além disso o livro fala um pouco sobre a Segunda Guerra, época em que muitas pessoas foram levadas para campos de prisioneiros, inclusive alguns italianos, mas isso é algo que poucos sabem, se tem mais em mente que nessa época foram injustamente aprisionados os alemães e japoneses.
 Fala sobre o quanto a guerra foi cruel e levou pessoas inocentes para longe da sua família fazendo com que a mesma ficasse desamparada e o quanto a experiência de vivenciar isso transformou os prisioneiros.


 A história de Ella vai prender e conquistar o leitor desde as primeiras páginas, é ela mesma quem narra e por isso nos sentimos mais próximos dela e podemos entender melhor o motivo dela ter feito tudo o que fez.
 Ella está nos contando sobre algo que aconteceu e algumas vezes ela narra o presente também, mas o foco mesmo é na época em que Joe morreu e também em suas memórias com e sem ele.
 Mesmo sendo Ella narrando, o leitor consegue entender as atitudes dos outros personagens e ser conquistado por eles, pois todos são bem construídos e possuem uma personalidade marcante, mesmo aqueles que aparecem pouco.


 A capa desse livro é simplesmente a coisa mais linda do mundo, mesmo não sendo nada cheio de detalhes é uma imagem bonita de se ver, mas senti falta de ter duas crianças na foto, não apenas uma, visto que na história se tem um garotinho e uma garota.
 Por dentro o livro está bem simples, não há muitos detalhes, mas a folha é amarelada e o tamanho da fonte do texto está ótimo, então é uma diagramação bem agradável e que ajuda a proporcionar uma boa leitura.

"Mas feridas profundas são campo fértil para a impulsividade."

 "O maior amor do mundo" é uma história muito sensível e emocionante que vai conquistar todo tipo de leitor, pois fala sobre algo real, bonito e muito dolorido. A história de Ella é aquela que vai te prender e envolver rapidamente, e pode ser que arranque boas lágrimas de você.
 Esse é o livro mais lindo que eu já li sobre maternidade, é uma história que conquistou completamente o meu coração e é difícil encontrar palavras para descrever o quanto a história é bonita, é algo tão sensível que parece que nenhuma palavra vai conseguir passar o que senti ao ler.
 Enfim, "O maior amor do mundo" entrou para a minha lista de favoritos e tenho certeza que vai entrar para a de mais vários leitores, por isso eu super recomendo a leitura dessa história incrível, vale muito a pena conhecer Ella.

(livro recebido em parceria com a  editora)

Deixe um comentário:

  1. Aiiiin que lindoooo!!! :'(
    Amo livros assim, que tem histórias emocionantes.
    Prevejo muito choro. Sou mãe e sei tanto que esse amor é grande.
    Amei sua resenha, me emocionou.
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Gostei bastante da história do livro e estou pensando em comprá-lo na Bienal. A história parece ser daquelas que arrebentam qualquer um haha

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  3. Posso dar 5 estrelinhas para sua resenha? Adorei rs
    Então esse livro me agradou muito principalmente por tratar de um assunto que não vemos em livros
    Quero muito esse livro e vou anotá-lo na wishlist
    Beijos
    Myself here

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que resenha incrível parabéns. Quase chorei de ler só a resenha, imagine o livro. Eu não deveria ler esse tipo de história triste, pro meu próprio bem, mas acho que esse vai pra minha lista!!!!

    ResponderExcluir
  5. poxa, que barra pra Ella suportar tudo isso, né??? :(
    Bem, apesar de ter notado o quão o livro pode ser emocionante e sensível, prefiro evitar a leitura... ultimamente não ando com clima para obras desse gênero...

    ResponderExcluir
  6. amor de mãe e filho é um dos mais fortes e lindos do mundo, não sei se leria algo do gênero mas achei bonita a temática do livro.

    ResponderExcluir
  7. Olá!!

    Que livro lindo!!!! Eu gosto muito destas histórias profundas, que falam de superação, de acontecimentos da vida sem ser piegas ou muito meloso. Acho que este tem o meu perfil. Vou anotar a dica! :)

    Beijos

    www.escrevarte.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Gostei da premissa do livro, acho que vou colocar na minha wishlist de bienal e, quem sabe, comprá-lo! Tô numa vibe de draminha. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, não conheço o livro, mas o fato de falar sobre relação de mãe e filho. Espero ter a oportunidade de ler um dia.
    Beijos!
    www.lindaestante.com.br

    ResponderExcluir
  10. Larissa, já tinha ouvido falar do livro, mas há muito tempo atrás e por tudo que você falou ele tem uma carga bem densa de emoção e fiquei mega curiosa pela leitura.
    Sem contar que gostei de saber que fala de depressão pós-parto.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  11. Já tinha lido a resenha desse livro um tempo atrás, e já sofri só com saber sobre a trama por cima, imagina quando ler? Certamente vou chorar. rsrs
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Lari!
    Nossa, parece que a protagonista passa por uns maus bocados nessa história, não? Não sei se estaria no clima para um livro assim agora, mas obrigada pela dica!

    Beijos,
    Miss Sorrisos Blog
    Twitter|Wattpad|Instagram


    ResponderExcluir
  13. Parece ser muito lindo, gostei bastante e o que mais me impressionou foi a forma q ele morreu... bonita e poética até...
    Bjs, Isa
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oie, esse livro parece ser muito lindo *-*
    N conhecia, mas fiquei com vontade de ler :)
    www.guildadosleitores.com

    ResponderExcluir
  15. Que capa mais linda *-*
    Eu não conhecia a obra, mas já quero muito ler, parece ser encantadora. Estou meia louca e nessa fase, romances me acalmar. Sua resenha ficou legal e com certeza irei ler o livro.

    ResponderExcluir
  16. Putz meu!
    Me faço de durão e tal, mas histórias de família, com mães e pais que se superam é fogo! Isso mexe comigo, parabéns por sua resenha e com certeza quero ler este livro.

    Abraço,
    Diego de França
    www.leitorsagaz.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oii Lari, tudo bem?
    Achei linda a forma como você falou do livro, eu ainda não conhecia, mas não tenho dúvidas que seja uma história emocionante. Você me deixou curiosa para saber como fica a relação entre a mãe biológica e a Ella.

    Beijos da Jéss ♥
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bom?
    Eu não conhecia o livro, mas sua resenha fez com que eu ficasse tentada com essa leitura. Sou mãe de um bebê de 4 meses e me emocionei com a descrição dessa história. Parece ser bem tocante e sensível.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá, parece ser completamente emocionante e tocante a história deste livro.
    Acho legal quando é explorado outros tipos de amores, neste caso o materno.

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger