Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Akai Ito - O Fio Vermelho

 Hey, bookaholics! Hoje eu vim trazer algo diferente para vocês, para quem não sabe eu adoro a cultura oriental e esses tempos atrás eu fiquei sabendo sobre uma lenda muito romântica que existe lá no oriente, mas só hoje eu consegui pesquisar e preparar um post sobre ela para vocês. Vamos lá?


 A lenda chinesa original diz que quando uma pessoa nasce os deuses amarram um fio vermelho (invisível para os humanos) nos tornozelos dos homens e mulheres que estão destinados a ser a alma gêmea um do outro.

"Uma corda vermelha invisível conecta aqueles que estão destinados a se encontrar, independentemente de tempo, lugar ou circunstâncias. A corda pode ser esticada ou emaranhada, mas nunca irá se romper.”

 Atualmente a lenda se espalhou por todo o Leste Asiático, tendo sido incorporada ao folclore oriental, tendo ocorrido pequenas modificações apenas. No Japão, a linha que conecta as almas gêmeas está amarrada no dedo mindinho.  Como a lenda se espalhou, há várias versões dela, mas as mais conhecidas são a chinesa e a japonesa.
 Akai Ito se originou à partir da lenda do deus chinês Yuè Xià Lǎorén, também chamado de Yue Lao ou Xia Lao Yue, que segundo o tradutor, significa literalmente “casamenteiro”. Ele é representado por um velho, que é o deus do amor e do casamento, e aparece somente sob o luar. Dizem que vive na lua ou no Yue Ming (mundo obscuro, equivalente ao Hades da mitologia grega). Sendo este deus, o responsável por colocar este fio vermelho nos humanos.

Sua lenda se passa durante a dinastia Tang, onde vivia um jovem rapaz chamado Wei Gu. Quando ele passava pela cidade de Songcheng, ele encontra um senhor encostado sobre seu pacote, lendo um livro sob o luar.Curioso, Wei Gu dirige-se até o velho homem e pergunta o que estava lendo. Ele responde que é o livro que contém a lista de casamentos, que mostra quem irá se casar com quem, e disse que dentro do pacote, há cordas vermelhas, que ele amarra nos tornozelos, ligando o casal predestinado. Wei Gu e o velho caminharam juntos até o mercado, lá estava uma senhora cega, carregando um bebê de aproximadamente 3 anos de idade. Yue Lao diz ao jovem que aquele bebê será sua esposa no futuro. Wei Gu achou isso muito estranho, e mandou um de seus servos apunhalar o bebê com uma faca. E assim foi feito. Desde então, passaram-se 14 anos, e o governador de Xiangzhou, Wang Tai, deu a Wei Gu a mão de sua filha em casamento. Wang Tai estava tendo dificuldades para encontrar um bom partido para a sua filha, apesar dela ser bonita, devido a sua cicatriz nas costas e pelo fato de ela ter dificuldades para caminhar. Quando lhe foi perguntado o que havia acontecido com ela, o governador respondeu que há quatorze anos atrás, um homem a esfaqueou num mercado, sem motivo algum. (Ou seja, era o bebê que o velho Yue Lao disse que seria a esposa de Wei Gu no futuro, o que acabou se concretizando.). Dez anos depois, Wei Gu teve três filhos. Ele pediu ao velho homem por pares ideais para seus filhos e filha, porém, o deus casamenteiro se recusou. Durante os anos seguintes, Wei Gu procurou por pessoas adequadas à seus filhos, mas não apareceu ninguém para se casar com nenhum deles.



Existem variantes dessas lendas. Como esta que encontrei:
Um homem caminhava tranquilamente pelas montanhas. Caminhava feliz, pois ia visitar a sua noiva. De repente, um velho homem apareceu diante dele.– Sendo eu o deus Xia Lao Yue tenho o poder de ver a corda vermelha que liga uma pessoa à outra.  E posso dizer-te que a pessoa que estás indo visitar agora não é a tua destinada e, se casares com ela, não vais ser feliz. A pessoa a quem a corda te liga é aquele bebê. – Disse apontando para um bebê que dormia no colo da mãe. O homem não acreditou em uma única palavra de Xia Lao Yue e, cego pela raiva, encarregou o seu criado de matar o bebê. No entanto tudo o que o Deus lhe dissera era verdade, o homem não estava ligado à sua noiva e, por isso, vivia infeliz. Passaram-se anos  e a sua mulher faleceu deixando-o viúvo. Quando já tinha perdido toda a esperança de voltar, um dia, a ser feliz encontrou uma bela mulher com quem acabou por casar. Essa mulher era aquele bebê. O bebê que outrora mandou matar, mas que tinha conseguido escapar desse trágico final e que agora estava ali a seu lado, fazendo dele o homem mais feliz do mundo.


Outra lenda interessante:
Debaixo da escura noite, iluminada apenas pela brilhante lua cheia caminhava, apressadamente, para a sua casa um pequeno menino. Enquanto caminhava encontrou um velho, sentado por  baixo de uma árvore observando a grande lua.– Boa noite rapaz! – Disse-lhe humildemente o velho que, na realidade, era o Deus Xia Lau Yue. O menino nunca antes vira o velho, por isso, continuou o seu caminhou sem lhe prestar atenção.– Sabes! – continuou o velho. – Devias começar a preparar-te para o teu destino. Já não falta muito para te tornares um homem e, como todos os homens, precisas de arranjar uma esposa. O menino era ainda muito jovem e não mostrava nenhum interesse em se casar.– Eu nunca me vou casar. – Disse amargamente.– Isso só o destino pode dizer. E sabes o que ele diz agora? Mesmo não estando a gostar muito da conversa o menino acenou que não com a cabeça.– Ele diz que te casarás com a jovem que estiver do outro lado da corda que amarrei ao teu tornozelo. Pela primeira vez, o menino conseguiu ver a corda vermelha amarrada ao seu tornozelo, que se estendia no chão formando um estreito caminho cor de sangue. Na outra ponta da corda estava uma jovem rapariga, sentada à porta da sua casa, observando o céu escuro da noite. O menino não queria acreditar no que os seus olhos viam, pegou então numa pedra e atirou-a ao rosto menina, pensando que aquilo seria o suficiente para a manter longe dele para sempre. De seguida, limpou as mãos sujas de terra aos calções e correu, como nunca antes havia corrido, passando por tortuosos caminhos, deixando completamente emaranhada a corda vermelha que continuava amarrada ao seu tornozelo, mas que por algum motivo, já não conseguia ver. Passaram-se anos, e o menino de outrora tinha-se transformado num belo homem cobiçado por muitas mulheres. Ele sabia que tinha de desposar um daquelas raparigas para honrar a sua família, dando-lhe continuidade, mas a verdade, é que nenhuma daquelas mulheres lhe interessava. Na aldeia diziam que mesmo que procurassem pelo mundo inteiro jamais encontrariam uma dama que lhe agradasse. O menino, agora já homem, esquecido da conversa que tinha tido com o velho à uns anos atrás, caminhava debaixo da lua cheia, pensando que talvez nunca conseguisse encontrar  o seu par ideal. Foi então que, passando por uma das casas da região, viu a silhueta de uma mulher. Pela primeira vez, sentiu que aquela era a mulher com quem queria passar o resto da vida, mesmo que dela conhecesse apenas a sua silhueta. Essa jovem, por quem se apaixonara era conhecida como sendo uma das mais belas mulheres da vila, contudo raramente saia de casa por ter vergonha do seu rosto. No tão esperado dia do casamento, a jovem não mostrou o rosto, mantendo-o escondido por baixo de um grosso véu. No entanto, no fim da cerimônia, quando se encontravam sozinhos, o homem não conseguiu esconder a curiosidade e perguntou-lhe por que motivo ela escondia o rosto.– Ninguém o quereria ver. É feio e está marcado por uma horrível cicatriz. – Respondeu. – Quando era pequena um rapaz atirou-me um pedra ao rosto, deixando uma cicatriz sobre a minha sobrancelha.Aquelas palavras trouxeram-lhe à memória aquela noite. A noite em que tinha falado com o velho, o deus Xia Yue Lau. E com um suave movimento retirou o véu da sua esposa, deparando-se com a mais bela mulher que alguma vez havia visto. Nesse dia o jovem percebeu que não adianta fugir, pois o destino do Akai Ito será sempre cumprido.


 Eu gostei das três versões, mas achei as duas primeiras um tanto radicais, esses homens ficaram meio descontrolados com a ideia do fio vermelho amarrado em um bebê, né? kkkk Mas elas não deixam de ser românticas também. É engraçado pensar em ter um fio amarrado em você, né? 
 Enfim, espero que vocês tenham gostado do post e durante minha pequena pesquisa sobre a lenda, eu descobri que existe no Japão um dorama sobre a lenda com o mesmo nome (Akai Ito), irei tentar assistir e então falarei sobre o dorama aqui no blog. 


Deixe um comentário:

  1. Oi Lari! Poxa, realmente a terceira lenda é a mais bonita! Lembrei de Édipo, e "do que o destino nos reserva" srsrs
    Muito legal! Continue postando coisas assim, são interessantes!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani *-*
      Fico feliz ao ver que gostou, sempre que der vou ver se acho algo diferente para postar no blog oo/

      Beijos :*

      Excluir
  2. Amei as três lendas mas a terceira é a mais bonita.
    Assim como você gosto muito da cultura oriental, minha preferida é a cultura indiana e suas lendas. Parabéns pelo post!

    Bjinhos
    Jéssica Rodrigues
    Blog Coração Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jéssica.
      Que bom que gostou das lendas, eu gosto da cultura oriental, ela é tão rica, mas minhas preferidas são a japonesa e a chinesa.

      Beijos :*

      Excluir
  3. Uma das lendas japonesas mais bonitas, eles fizeram um seriado baseado nas lendas, com o mesmo nome, Akai Ito, assista se puder viu?

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É linda essa lenda, acho tão romântica. Série? Não seria o dorama? Eu já assisti se for ele e logo tem post aqui sobre o que achei kkkkkkk

      Beijos :*

      Excluir
  4. Olá!
    Adorei as lendas, principalmente a terceira. Achei a primeira e a segunda bastante semelhantes e radicais também! Mas como você disse, não deixam de ser românticas.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline *-*
      Pois é, as duas primeiras são meio radicais e bem semelhantes, mas são românticas também :3

      Beijos :*

      Excluir
  5. Nossa cara! Que legal!
    Achei muito doido as duas primeiras, porque eles quiseram matar os bebês! Tipo: what???? KKKK
    Mas enfim, essas lendas são mesmo bem "diferentes", mas a ideia de ter essa cordinha é bem interessante. Adorei a postagem.
    http://respiralivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Hemilly *-*
      Fico feliz ao ver que gostou do post, também fiquei perplexa quando vi que eles queriam matar os bebês e não entendi muito bem o motivo disso kkkk Mas ao todo adorei as lendas, é interessante esse negócio da cordinha, né? Quem dera a gente tivesse e visse, seria tão mais fácil encontrar nossa alma gêmea kkkk

      Beijos :*

      Excluir
  6. Oieee, tudo bem? Não fazia a minima ideia de que existisse uma lenda deste tipo, achei muito bonita e romântica. A que eu mais achei interessante foi a do Bebê apesar de ser um pouco triste pois o homem tentou matar o bebê o final foi muito legal. Acredito no amor verdadeiro, mas acho que ás vezes algumas pessoas sem querer se dispersam dele, enfim, o mistério das escolhas e do futuro rs, Adorei sua postagem, Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo e ai?
      Pois é, tem algumas coisas bem interessantes por ai que a gente não conhece, uma pena, né? Eu também acredito no amor verdadeiro, mas parece que a cada dia que se passa está ma-is difícil as pessoas acreditarem nele :/ Enfim, fico feliz que gostou da postagem oo/

      Beijos :*

      Excluir
  7. Oie, tudo bom?
    Não conhecia essa lenda, mas achei bem romântico o lance de ter essa ligação com a pessoa amada. Imagina se fosse assim? Seria uma explicação para alguns relacionamentos fracassados. É um ideal romântico bem diferente e interessante.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline.
      Tudo e ai?
      Essa lenda é bem romântica mesmo, quem nos garante que não estamos ligados à nossa alma gêmea de algum jeito? kkkk

      Beijos :*

      Excluir
  8. Olá... tudo bem??

    Nossa adorei essa cultura menina... fico imaginando quando meu outro lado do fio vermelho vai se aproximar de mim rsrsrsrs... Eu particularmente achei as três histórias bem violentas para ser algo dito do amor e casamento... a cultura japonesa tem dessas coisas... não acreditar na história é uma coisa, mas agredir um bebê por causa disso é outra completamente diferente... mas gostei da terceira história... acredito no destino e penso que nada é por a caso já está escrito.... adorei... Xero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diana.
      Tudo e ai?
      Essa lenda é muito romântica, né? Eu adoro ela e fico imaginando quando é que meu outro lado do fio vai aparecer na minha vida também kkkk Ele está demorando um pouquinho :c kkk

      Beijos :*

      Excluir
  9. Oi, tudo bem?
    Adorei conhecer um pouco mais sobre a lenda, sabem muito pouco da cultura oriental.
    Gostei da segundo, mas realmente, é meio radical. Tudo bem o cara ficar revoltado, mas daí a mandar matar um bebê? :(, maldade demais, ainda bem que no final deu tudo certo, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo e ai?
      Eu adoro a cultura oriental, mas também não sei muito sobre ela :c Fico feliz que tenha gostado da lenda oo/

      Beijos :*

      Excluir
  10. Oi Lari ^^
    Não sou muito conhecedora da cultura oriental, apesar de ser bem curiosa a respeito me falta tempo às vezes para ir atrás de mais coisas. Por isso eu gostaria de te agradecer por me proporcionar bons momentos aqui no teu cantinho.

    Achei uma graça essa lenda e gostaria de ler muitas outras. Tô pegando o gosto pela coisa heheheh

    beijos
    www.confraria-cultural.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alessandra oo/
      Eu adoro a cultura oriental, mas é um tanto complicado achar informações sobre ela que sejam bacanas, é preciso pesquisar em n lugares, pois cada um fala uma coisa :c Mas vi que a turma gostou bastante do post, então tentarei estar pesquisando mais e trazendo algumas coisas aqui no blog oo/
      E não precisa agradecer, preparo o post especialmente para vocês e fico muito feliz ao ver que gostaram s2

      Beijos :*

      Excluir
  11. Oi Lari, tudo bem?

    Legal mergulhar mais na cultura oriental. Conheço pouco, mas pude entender sobre o fio vermelho. Também gostei mais da ultima.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kel.
      Tudo e ai?
      Eu adoro a cultura oriental, então quando tenho um tempinho para mergulhar nela eu fico super feliz kkkk Enfim, fico contente ao ver que você entendeu a lenda e gostou dela :3

      Beijos :*

      Excluir
  12. Hey Lari, lembra de mim? Haha
    Eu já conhecia a lenda, mas de modo bem superficial.
    São 3 histórias muito bonitas, mas realmente, a terceira é a mais bela.
    Gostei da sua ideia de postagem, bem criativo! Quero mais dessas viu moça ;)
    Até mais,
    Lie
    www.nossosmundos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natálie.
      Lógico que lembro, mas menina, você sumiu *o*
      Fico feliz que tenha gostado a postagem, irei tentar trazer coisas assim para o blog, o problema é que é meio difícil encontrar essas coisas interessantes por ai :3

      Beijos :*

      Excluir
  13. Oi, Larissa!! Parabéns pelo seu blog, gostei muito dele!
    Muito interessante este post!! Não conhecia essas lendas maravilhosas e lendo o seu post, lembrei de um texto escrito por mim em 2003 e publicado em maio de 2014 no meu blog, chamado "Linha Fina". Segue o link:
    https://fernandamlisboa.wordpress.com/2014/05/02/linha-fina/
    Obrigada. Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda.
      Fico muito feliz ao ver que gostou do blog e do post *-* E fiquei curiosa com o seu texto, vou correndo lá conhecer :3

      Beijos e obrigada pela visita :*

      Excluir
  14. É uma lenda muito interessante a do fio vermelho, vi mais em animes, pois é bastante retratada, as lendas descritas no post são bem interessantes, gostei mais da última lenda. Esse fio é retratado bastante sobre o amor,gostei rs.

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  15. Nunca tinha lido nada tão explicadinho sobre essas lendas e, particularmente, achei a terceira mais bonita! Acredito mto em destinos, traçados na maternidade, como já cantava Cazuza! rs
    Beijos
    Nica

    ResponderExcluir
  16. Eu já ouvi falarem nessa lenda, ela é bem interessante. acho muito legal a cultura oriental também o folclore deles são bem curioso.

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger