Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: A Idade da Morte

Sinopse: Um jovem historiador ateu, busca fatos que expliquem a morte sob um ponto de vista científico. Muitos desses fatos ocorreram em vários países e em diferentes épocas da história mundial e brasileira, mas ao longo do trabalho, acaba focando-se no suicídio de alguns dos protagonistas de tais acontecimentos, que aos poucos vão interferindo no rumo da sua própria existência.A partir de então, ele terá que lidar com consequências de um passado que ainda não conhece e no qual não acredita, pois um homem misterioso coloca-o em um jogo onde ele só sabe as regras, mas não as consequências.Entre um romance imprevisível e um final impressionante, o leitor se deparará com uma pesquisa riquíssima sobre a II Guerra Mundial, História do Brasil e algumas características e desigualdades regionais que somente o Brasil possui. 
 Eu recebi esse livro de cortesia da editora GARCIA edizioni, não foi eu que solicitei esse exemplar, eles que me mandaram e confesso que quando vi o livro, me animei muito para ler, pois a capa me chamou muito a atenção e o título mais ainda.
 O livro conta a história de Marcos, um estudante de história que quer pesquisar sobre outro tema, não os famosos que todos os historiadores pesquisam, então ele escolhe o tema da morte, ele quer saber o que leva uma pessoa a se suicidar.
 Então ele fica pesquisando em vários lugares sobre suicídios e encontra algumas histórias. A primeira é sobre um ex-marinheiro português que depois de sofrer muito com várias doenças, encontra junto com as pessoas que restaram de sua tripulação uma terra linda, que é o nosso Brasil, ele conta um pouquinho sobre os índios e como os seus superiores queriam escravizá-los, ele era contra isso, no entanto, depois de um certo tempo ele se viu fazendo de tudo para obter riqueza e é então que ele acaba perdendo a cabeça e se suicida.
 Depois dessa primeira história, ele continua procurando outras, pois queria ter um trabalho rico em informações para assim entender o que leva uma pessoa a praticar suicido, ato que ele antes achava ser egoísta e sem sentido.
 Embora eu tenha gostado da história do ex-marinheiro, teve uma que chamou muito a minha atenção, que é uma sobre o relato de um judeu na época de Hitler, ele foi enviado ao Campo de Auschwitz que era conhecido como o pior de todos os campos. No relato desse homem, vemos como os soldados eram cruéis, eles se divertiam com o sofrimento dos judeus, há até uma parte onde é relatado que os soldados separavam os judeus e obrigava os mesmos a lutarem até a morte. No fim do relato o homem decide pular na cerca para se matar e sair daquele inferno que era viver em um campo de concentração.
 Acredito que essa história me chamou mais a atenção porque eu gosto de coisas relacionadas a época de Hitler, embora seja muito sofrido o que aconteceu, é uma parte importante da história que precisamos conhecer um pouco. Mas vale lembrar que há outros relatos sobre suicídio no livro também.
    
" - Mudar uma vida, tentar ser diferente ou desistir, suicídio? Éh meu rapaz, o desespero leva-nos a fazer escolhas precipitadas, por isso, alguns poucos e fortes escolhem não entrar em desespero, mas só quando ainda há tempo, pois o preço que se paga por um grande erro é caro demais."

 No entanto, não é só isso, um pouquinho antes da metade do livro conhecemos Antônio, um homem estranho que recebe Marcos em sua casa e começa a falar coisas que não fazem sentido para ele e ainda diz que Marcos possui 7 dias.
 Marcos então está se divertindo em uma festa, quando começa a beber demais e ter visões estranhas iguais a que ele estava tendo em seus sonhos depois de ter conhecido Antônio. Só que Marcos acaba perdendo o controle e desmaia, ele é levado para um hospital e acaba ficando internado, mas isso foi bom, pois assim ele conhece Sara.
 Então depois de ter alta do hospital, o protagonista vai até a casa do Sr. Antônio, vasculha tudo e acaba achando alguns arquivos sobre Sara, a enfermeira que cuidou dele no hospital, seu primeiro instinto é ir correndo mostrar para ela e é ai que a história começa a se desenrolar, o que Antônio quer com esses dois? É o que Sara e Marcos irão descobrir.
    

 A diagramação está bem simples, as folhas são amarelinhas e a fonte está em um ótimo tamanho. Quanto a leitura do livro, ela flui bem fácil, pois o autor utiliza uma linguagem de fácil compreensão. 
 Enfim, eu gostei desse livro, ele é bem diferente e embora seja curtinho é uma ótima leitura, não é o tipo de livro que vai te fazer chorar ou te fazer dar gargalhadas, mas é um livro que vale a pena ser lido, os relatos de suicídios são ótimos. O final não foi algo surpreendente, mas foi interessante, tudo se ligou. Por fim devo dizer que fiquei com uma grande dúvida em relação a história ser real ou não, pois o jeito que a história é escrita e o nome do personagem ser igual ao do autor só faz o leitor ficar tentando entender se isso aconteceu ou não. Bom, eu recomendo a leitura, pois é bem rapidinha e interessante.



Deixe um comentário:

  1. Não sei por que, mas nunca consegui gostar desses livros curtinhos. Parecem sempre mal desenvolvidos, com um início ruim, um desenvolvimento desastradamente acelerado, e acabam não me conquistando muito. Por isso acabo sempre preferindo livros maiores, de preferência aqueles com 500 páginas. Mas como eles nem sempre estão disponíveis dentre os estilos que gosto, vou ficando com os de 300/400.

    Café com Letras
    Participe do nosso sorteio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz, alguns livros fininhos são bons, não julgue um livro pelo seu número de páginas, pois tem aqueles que são bem grossos e a história é nada com nada, a autora ou autor só fica enrolando e falando abobrinha para encher linguiça kkkkkkkkkk Enfim, acho que você devia dar uma chance aos fininhos, eles podem te surpreender ;)

      Beijos ;*

      Excluir
  2. Curtinho né?! rsrs eu gosto de livros assim, pra carregar na bolsa! haha
    poxa, legal... eu também liguei uma coisa à outra... até pensei: ué, a lari ta falando do personagem ou do autor? kkkkkk

    Beeijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super curtinho e dá para ler rapidinho por causa disso, quanto a essa coisa de ser uma história real, eu fiquei em dúvida, é estranho, parece que é o autor, teve até um momento que eu olhei o nome do autor novamente para ver se era o mesmo do personagem mesmo e fiquei me perguntando se a história seria real kkkkkk

      Beijos :*

      Excluir
  3. A capa dá medo! Kkk Mas parece ser bem interessante a história e fiquei intrigada com o que você falou o personagem tem o mesmo nome do autor e parece ser uma história real. Não dá medo não Lari?
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá um certo medinho sim, mas a história em si não dá, ela não é lá muito medonha, pode ficar tranquila kkkk

      Beijos :*

      Excluir
  4. Oi linda, o livro me parece bem interessante e sua resenha ficou impecável, mas não sei se leria por agora, não é um gênero que curto muito ler....mas quem sabe né?A gente nunca pode dizer nunca,kkkkkk
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Adorei a capa, admito que vendo essa capa acabei ficando interessado em lê-lo também, e lendo a sua resenha só fez reforçar ainda mais essa vontade, vou procurar esse livro para ler o mais rápido possível!
    Bjs Larissa <3

    ResponderExcluir
  6. Gostei da resenha,inspira a leitura.Por ser um livro simples e de fácil leitura é um incentivo a novos leitores.

    ResponderExcluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger