Home Sobre Mim Resenhas Colunas Contato Parceiros

Resenha: Ratos - Gordon Reece

SinopseShelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir — são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso. Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite. 
Páginas: 240

 Em um post de indicação que fiz o blog, uma blogueira indicou esse livro, então quando vi ele em promoção, não hesitei em comprar.
 O livro conta a história de Shelley, que foi vítima de bullying por suas três ex-melhores amigas, mas não é só isso, ela e sua mãe foram abandonadas pelo pai, que se casou com uma garota mais nova e depois que Shelley não quis ir morar com ele, o mesmo simplesmente sumiu no mundo e se esqueceu que tem uma filha.
 E as amigas de Shelley mudaram, afinal, isso é normal na idade delas, no entanto, Shelley não mudou muito, o que fez suas amigas se distanciarem dela, mas até ai, estava tudo bem, o terror começou quando as garotas começaram a fazer brincadeirinhas de mau gosto com Shelley e com o tempo essas brincadeiras viraram agressões físicas.
 Shelley por vergonha e medo não quis contar para ninguém o que estava acontecendo, pois ela acreditava que se contasse, as garotas ficariam com mais raiva ainda e o bullying iria se tornar pior do que já estava, mas de qualquer forma, as garotas se tornaram mais malvadas e violentas com a pobre Shelley, que nunca reagia.

 "Tudo em que eu pensava era que não importa o quanto somos próximos de alguém, sempre existirão limites - fronteiras que simplesmente não somos capazes de atravessar, questões que nos tocam tão profundamente que não podem ser compartilhadas. Talvez, pensei, aquilo que não conseguimos compartilhar com os outros seja o que realmente define quem somos."

 Então um dia, essas três garotas encontram Shelley no banheiro da escola e colocam fogo nela. Nessa cena, fiquei me perguntando como isso foi acontecer, elas eram melhores amigas e de um dia para o outro se tornam inimigas sem razão, a ponto de quererem acabar com a vida de Shelley, mas o ser humano é assim, ele é imprevisível, ninguém realmente conhece o outro, no mesmo momento que você acha que a pessoa te ama, ela pode te odiar.
 Depois desse acontecimento, a mãe de Shelley tenta buscar justiça, pois uma coisa dessa nunca poderia ter acontecido e mais ainda, como garotas que eram amigas de sua filha, garotas que passavam dias na casa dela, poderiam ter feito isso? Mas foi o que aconteceu, no entanto, não tinha ninguém como testemunha para defender Shelley e acusar as três garotas, por essa razão, o caso não teve culpados, ou seja, as garotas que quase mataram Shelley, ainda continuariam a estudar na mesma escola que ela.

"A perda de uma única pessoa, de um único indivíduo, independente do quão inútil fosse sua existência, deveria ser importante."

 Mas Shelley estava com muito medo e a sua mãe também, com isso as duas decidem "fugir" mudando de casa e vão atrás de uma afastada de tudo, para assim viverem em paz, sem correrem o risco das garotas irem atrás de Shelley novamente, é então que elas encontram o Chalé Madressilva, um lugar perfeito para ambas, mas a vida não iria ser tão fácil e feliz como estava aparentando.

"Essa é a maldição das mães, pensei, estão condenadas a sentir a dor de seus filhos como se fosse sua."

 Shelley é uma garota inteligente, mas a sua característica mais forte é o medo, ela é tão medrosa que mesmo quando colocaram fogo nela, ela não reagiu, seria uma atitude normal ela sair correndo, ou tentar apagar o fogo, não é? Mas ela simplesmente ficou parada, sem saber o que estava acontecendo e depois desse episódio, ela quer fugir de tudo e se esconder em um lugar afastado, por isso ela se acha um rato e também chama a sua mãe disso, pois ela não é muito diferente da filha.
 No entanto, no dia do aniversário de Shelley tudo muda, uma coisa acontece e  transforma tanto a mãe quanto a filha em pessoas completamente diferentes, a ponto de uma não reconhecer a outra direito e é ai que a história se desenrola e começa a a ficar muito interessante, tanto que eu não conseguia parar de ler, queria saber logo o que iria acontecer.
    
    "A mensagem seria que não importa onde estejamos ou o que façamos, a Morte e o Horror estão sempre por perto. O desafio é seguir com nossas vidas e sermos felizes mesmo que sempre possamos vê-los, de relance e borrados, mas ainda reconhecíveis no fundo de cada cena."

 Enfim, o livro é muito bom, me emocionou em algumas cenas, me fez pensar em várias coisas e ver que o ser humano pode ser muito violento e insensível, mas além de tudo, ele é capaz de tudo para sobreviver e defender o que ama. A diagramação estava ótima, como todos os livros da Intrínseca, tanto a letra quanto a cor da página são agradáveis, a capa é simplesmente linda, quando vemos a foto não dá para notar, mas a casa do ratinho é cortada e o ratos está escrito na orelha do livro, eu simplesmente achei incrível isso. Recomendo para todos, pois a leitura é bem rápida, o livro não é muito grosso e a história é muito boa.

Deixe um comentário:

  1. OOOi Lari ^-^
    Adorei a resenha , está melhorando bastante
    Tenho esse livro aqui , mas ainda não parei pra ler haha
    Espero gostar da leitura , sua resenha me deixou bastante curioso e quem sabe eu leia logo haha
    Estou looooooouco agora uahshuaus : '' O desafio é seguir com nossas vidas e sermos felizes mesmo que sempre possamos vê-los (...)
    Beeijos *-*
    Um Grande Vício Literário *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Luan, leia o livro, ele é bom e rápido :)
      Beijos :*

      Excluir
  2. Parabéns pela resenha, bem explicativa! O livro me interessou, talvez compre da próxima vez na livraria.
    Beijos,
    http://misssorrisos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, já vi eles muitas vezes de promoção no sub, não é querendo fazer propaganda, mas é que o preço de lá é bem mais em conta ;) kkkkk'
      Beijos :*

      Excluir
  3. Oi, Larissa!
    Já vi alguns comentários sobre esse livro, mas nunca fiquei muito interessada nele e não imaginava que falasse sobre um tema tão importante, mas acho que não é o tipo de leitura que agradaria já que não gosto muito de temas mais pesados. :)
    Adorei a resenha!

    Beijos,

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafaelle.
      Esse livro é bom, eu também não lia esses temas, mas eu gostei muito, pois não é tão pesado assim, mas é um livro onde não tem romance, no entanto, eu adorei, embora seja fã de romances, esse livro valeu a pena.

      Beijos :*

      Excluir
  4. Oi Larissa! Uma vez vi esse livro em promoção mas fiquei receosa de comprar e acabar não gostando, já me arrependi ahaha adorei sua resenha e o livro também! Por tratar de bullying e não ter romance se encaixa perfeitamente no meu gosto :) Dá próxima vez que o ver em promoção não hesitarei em comprar!

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só comprei ele porque uma blogueira indicou, caso contrário acredito que não teria comprado kkkkk Mas enfim, compre, pois é um livro interessante e direto está em promoção *-*
      Beijos ;*

      Excluir

 
Criado por: Bruna Borges || Todos os direitos reservados || Tecnologia do Blogger